O dia do nosso nascimento deveria ser o dia mais feliz de cada ano. Mas, não acontece de estarmos em todos os anos com o espírito perfeito, às vezes estamos com o espírito de porco, ou espírito avesso, tosco ou acabrunhado.
O mais importante é o respeito que devemos ter por nos mesmos. Cada aniversário é a renovação e reinicio de um novo ciclo que vincamos a nossa história.
Abrimos uma clareira nos questionamentos e na nossa forma de visão de mundo, do peregrinar incerto do homem e do futuro que assombra.
Como diz Marcelo Gleiser, físico e astrônomo “homem, amplia tua razão, para que possas compreender”. Mas a razão é tão misteriosa. Razão, realidade e compreensão, nem sempre caminham no mesmo diapasão. Muitas vezes os questionamentos aterrorizam e amedrontam. Que futuro incerto para nós humanos. Tanta violência descabida, tantas perdas inexplicáveis. Tantas tragédias que nos calam, emudecem, assombram e nos paralisam. Quem dera pudéssemos intuir com mais precisão os acontecimentos futuros. Talvez fosse mais fácil viver.
Mas, por mais que não estejamos concentrados em ter um feliz dia de aniversário, as mensagens de carinho dos amigos, conhecidos e família, sempre nos tocam com envolvente carinho.
Repito as palavras poéticas e lindas da amiga Vivian que me aqueceu o coração e me fez pensar na foto que fiz das jujubas :
“Feliz hoje e todos os dias! Que haja sol nas paredes da sala onde você está hoje. Música, vidros coloridos, sofás que abraçam, também. E bolo, muito bolo!”
Obrigada amigos do twitter, facebook, amigos artistas, amigos da faculdade, da pós graduação, família de sangue, família adotada, amigos irmãos, irmãos amigos. Obrigada a todos por fazer meu dia tão especial.