Flavio Bassani

Eu te conheço? Flávio Bassani perguntou através do facebook.
Uma pergunta simples como essa me fez viajar pelo universo artístico de Flávio Bassani.
Primeiro umas gravuras em xilo me chamaram a atenção no facebook. Interessantes, instigaram meu olhar e me fizeram buscar mais obras. Encontrei o site do artista e só consegui fechar o site depois de ter visto todas as fotografias de suas obras.
Sou da opinião simples que não importa o suporte, não importa a técnica se não houver a criatividade, o bom senso e harmonia.
Esse tripé Flávio Bassani possui sobrando e brincando. Toda sua obra tem consistência e tempo certo.
Desenvolve e realiza sua arte perfeita no “time” certo.
A meu ver arte não tem receita e não precisa bula. Não necessita tão pouco saber por que veio... A que veio e para que veio. Arte é. Simples assim. Arte é... para ser olhada, sentida, absorvida.
Se houver a necessidade de explicar de onde vem e porque o artista fez assim cozido ou assado deixou de ser pura aos olhos do espectador. Passa a ser influenciada.
Ah... Por isso ele fez assim ou daquela outra forma... Agora entendi. Pronto, arte não tem que ser explicada.
Um dia desses alguém me disse: - Agora que me explicaram essa instalação contemporânea estou entendendo o que o artista quis dizer e continuo a não gostar da obra. Estou errado?
Respondi: - Não. A meu ver arte existe para ser vista, sentida, escutada, experenciada. Não é porque rotularam de arte que preciso apreciar. Gostar é uma questão individual.